• Ícone Youtube
  • Ícone Facebook
  • Ícone Linkedin

Blog Mens Sana

Fique por dentro das novidades, eventos e palestras.

Aprimoramento constante. Você pratica?

Confira abaixo maiores informações. Voltar

20

de Setembro de 2016

Aprimoramento constante. Você pratica?

Quando o assunto é Sucesso e atingir objetivos, não podemos nos esquecer de que isso requer esforço e aprimoramento contínuo e constante.

 

Em tempos de crise então, isso deveria ser intensificado uma vez que os desafios aumentam. A disputa por uma fatia do bolo fica ainda mais acirrada, além do que o preço do bolo também aumentou.

 

Ocorre que as pessoas, em geral, ficam mais estressadas trabalhando sob pressão, e quando se fala em aprimoramento de técnicas, buscar conhecimento, cursos, treinamentos, congressos, poucas pessoas estão dispostas a dispor de tempo pra essas coisas. Se tiver custo então, está decidido, mais pra frente eu participo. Até por que: “isso eu já vi”, “já conheço”, “já sei”, “já participei de algo parecido”, e etc...

 

Gosto de fazer analogias com o esporte. Os atletas, invariavelmente, em todas as modalidades esportivas, treinam incessantemente, diariamente, por horas, meses a fio, para participar de um único evento esportivo, ou um campeonato. Todos os dias os mesmos fundamentos, fortalecendo os músculos, adquirindo mobilidade, aperfeiçoando movimentos e jogadas. Uma rotina em busca da excelência. Os melhores jogadores do mundo, no futebol p.ex., Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, se tiverem um jogo no sábado, treinam durante a semana, os mesmos fundamentos que já estão cansados de praticar. Eles sabem que precisam se manter em forma.

 

Já um executivo, quando é convidado para participar de um único curso, que há anos não faz nada parecido, sobre como manter sua equipe mais engajada, por exemplo, ele envia seu gerente ou assessor, pois esse tipo de treinamento ele já conhece. Infelizmente quem está no comando da empresa é ele. É ele quem vai cobrar o pênalti que poderá definir o campeonato.

 

Certamente irá vencer aquele que estiver mais bem preparado. Aquele que treinou mais.

 

Quer ter Sucesso? Treine bastante. Repita as jogadas até ficar excelente a ponto de reduzir ao máximo possíveis erros. E na hora de mostrar que é muito bom naquilo que faz, diante de um cliente, não lamente por não ter treinado um pouco mais, por ter não ter dado o seu máximo nos treinos. E que vença o melhor.

26

de Agosto de 2016

Ser parte do problema ou da solução, define um bom profissional.

Muitas vezes somos questionados sobre o que é ser um bom profissional. É obvio que ter uma boa personalidade, caráter, integridade moral são condições básicas de todo bom profissional. Ocorre que em tempos de competitividade acirrada, e velocidade nas decisões, existe um fator que distingue um profissional de destaque e um mediano.

 

Estou falando da capacidade de enfrentar situações desafiadoras, momentos em que a capacidade de encontrar a solução para um problema é de extrema importância.

 

Neste caso, costumo dizer que há dois tipos de profissional, porque não dizer dois tipos de pessoas, as que fazem parte do problema e aquelas que fazem parte da solução.

 

As que fazem parte da solução são as que, mesmo diante de uma situação difícil, desafiadora, onde parece não haver saída, dizem com firmeza, frases do tipo: - “Vamos encontrar uma maneira de resolver este impasse”, “Contem comigo”, “Não vamos desanimar, vamos encontrar uma saída”, “Sempre é tempo”, e por aí vai... São pessoas que encontram forças para seguir sempre em frente, que não se deixam abalar. Geralmente formulam frases positivas, no presente, substituem o “talvez”, “acho”, “eu farei”, por “acredito que”, “com certeza”, “juntos nós faremos”.

 

Temos vários exemplos na história de empresários, políticos, religiosos que marcaram seus nomes, promovendo mudanças gigantescas por onde passaram. O político Nelson Mandela, a religiosas Madre Thereza e Irmã Dulce, e também M. Gandhi, empresários como, Antonio Hermirio de Moraes, e Abilio Diniz, médicos, advogados, pessoas menos divulgadas pela mídia que diariamente estão nas favelas tentando mudar a vida de crianças e jovens, foi o caso de Zilda Arns que lutou uma vida por mais justiça social, não brigando e se indispondo, mas trabalhando com crianças, jovens e idosos. Ela fazia parte da solução.

 

Não fazemos parte da solução quando banalizamos uma injustiça social, fazendo piadas com pessoas que praticaram crimes. Devemos nos unir a grupos que buscam a solução de forma justa, honesta e que praticam a cidadania. Seja na sociedade ou na empresa onde trabalha.

 

Para sermos bons profissionais, bem como bons cidadãos, precisamos fazer parte da solução. E não reforçar o “time dos problemas”.

Como estão os Resultados da sua empresa?

Confira abaixo maiores informações. Voltar

1

de Agosto de 2016

Como estão os Resultados da sua empresa?

Quer saber se sua empresa gera bons resultados?  Pergunte para seus colaboradores. Mas saiba perguntar.

Toda empresa se preocupa com o faturamento, níveis de estoque, produção, produtividade, grau de eficiência, posicionamento de mercado, lucratividade, saúde financeira, retorno de investimentos, capital imobilizado, tendências de mercado, inovações, etc... Ao mesmo tempo em que todas, pelo menos nos discursos, dizem que o principal capital da empresa é o capital humano, a idéia de aplicar a palavra 'capital' a seres humanos, no sentido de transformar pessoas em capital para as empresas, fere frontalmente o pensamento humanista; entretando, ideologias a parte, as empresas pregam que seus colaboradores são as peças fundamentais e que são eles que fazem toda a diferença.

 

Toda empresa que investe em Gestão de Pessoas sabe como é importante conhecer o clima organizacional, pois é através dele que é avaliada a satisfação do cliente interno e são identificadas as falhas que podem comprometer a saúde corporativa.

 

Dentre as ferramentas mais usadas para saber como está o sentimento dos colaboradores em relação à empresa, encontra-se a pesquisa de clima organizacional. Há organizações que ainda estão buscando adequar esse recurso às suas necessidades, mas existem outras que já têm experiência e difundiram essa ferramenta à cultura corporativa, instituindo a  Pesquisa de Motivação.

Pesquisas de Motivação estabelecem algumas premissas, tais como:

  • Estabelecer qual a opinião, e a satisfação dos colaboradores, sobre a empresa e especificamente suas funções, sobre questões de relevancia;
  • Comparar as respostas e opiniões dos colaboradores com os resultados de pesquisas de anos anteriores;
  • Identificar as áreas prioritárias de interesse ou preocupação de cada individuo e gerar explicações e recomendações paras as áreas com oportunidades de melhoria significativa.

 

A base dos objetivos destas pesquisas está relacionada à motivação das pessoas e deseja ter uma medição bastante precisa sobre esses objetivos.

 

Porem para se chegar ao ponto de aplicar uma pesquisa, é primordial que as lideranças estejam abertas para receber os resultados. Em outras palavras, de nada adianta, medir os níveis de satisfação sem que as lideranças estejam dispostas a aplicar mudanças e buscar melhorias, ainda que estas mudanças estejam na contramão das estratégias atuais da empresa.

 

Toda mudança precisa ser estruturada e requer a adesão de 100% do “capital humano”.

 

Um ponto que deve ser observado é a confiabilidade da pesquisa, bem como que a mesma seja confidencial. Os funcionários precisam estar seguros de que suas respostas não lhes trarão nenhum tipo de transtorno. Pelo contrario, devem estar seguros que suas opiniões trarão benefícios para a empresa como um todo. Isto eleva a motivação dos funcionários para responder as pesquisas com maior eficácia, o que melhora progressivamente os resultados das mesmas.

É de se esperar que nas primeiras pesquisas haja uma participação tímida e de resultados aquém dos esperados. Isto é normal, uma vez que se trata de uma mudança cultural. Mas tenha paciência. Estude e acate as opiniões por menores que sejam. Dê credibilidade ao trabalho. Com o tempo, e gradativamente a participação se tornará mais efetiva.

 

Existem empresas no mercado com larga experiência neste trabalho e que oferecem todas as ferramentas necessárias ao pessoal de RH, responsáveis por todo o processo.

 

Em resumo, saber se os colaboradores trabalham motivados é essencial em toda a organização. Empresas com 50% dos colaboradores motivados, treinados e preparados, terá no máximo 50% de eficiência, ou menos. Empresa que busca 100% de eficiência deve estar com 100% dos seus colaboradores muito bem preparados, treinados e motivados. Isto é, devem ter bons motivos para executar suas tarefas, suas funções. Caso seus principais motivos de agir e pensar estejam fora da empresa, será isso que farão a maior parte do tempo em horário de expediente, pensar em tudo que está fora da empresa. Isto faz com que baixe a produtividade, ocasionando retrabalho e queda na qualidade.

 

Ter na organização colaboradores Motivados, esta diretamente ligado a Resultado.

Qual o nível destes resultados?

Pergunte a seus colaboradores.

 

Líder nasce líder ou pode-se formar um líder?

Confira abaixo maiores informações. Voltar

12

de Novembro de 2015

Líder nasce líder ou pode-se formar um líder?

Pelo fato de ministrar um Treinamento de Liderança, o Treinamento Master Mind, é muito comum ouvir a seguinte indagação: Podemos formar um Líder ou Liderança é um dom? Isto é, quem é Líder, nasce Lider e ponto.

 

Gosto de começar por definir o que é um Líder. A palavra Lider tem origem inglesa leader, vernaculizada, na língua portuguesa no sentido original. Comumente, empregada no plano social e profissional visando indicar: aquele que conduz um grupo, o chefe, aquele que ocupa uma posição superior, de comando. Explica Caldas Aulete que neste sentido, forma-se o verbo liderar na mesma acepção de dirigir, conduzir, chefiar, e liderança no sentido de chefia, comando, direção e condução.

 

Acredito que a Liderança é um perfil de personalidade que pode-se trabalhar, desenvolver e aperfeiçoar com técnicas. Porém para que haja a formação de um líder é necessário primeiro a necessidade para tanto, e mais, o Desejo do individuo em SER um Líder. E não de Estar numa posição de Liderança.

 

O inicío da formação de um Líder pode ser precoce. Talvez por isso é que se diz, que alguém já nasceu Líder. Por exemplo, um garoto que desde muito cedo é exigido pelas circunstâncias da vida, que se sujeita a sacrifícios para seu sustento, para sua sobrevivência, desenvolve certas habilidades de liderança, tais como: Romper barreiras, tomar decisões, sofrer derrotas e superá-las, é como se diz “Teve que se virar desde cedo”. Ou alguém que já no inicio da sua carreira teve lições de liderança, sendo instruído por um Líder, ou uma pessoa com características muito próprias de lideres, um Pai, uma Mãe, um Avô. Isso pode ocorrer nas mais humildes classes sociais, Por exemplo numa simples propriedade do campo. Estas pessoas não nasceram Lideres, mas aprenderam sobre liderança como se fosse a única escola da vida.

 

É difícil falar um dialeto chinês? Não para quem nasce na China.

 

Portanto penso que Liderança, ou melhor, as Competências Essências de um Líder podem ser aprendidas e desenvolvidas sim. Basta que para isso a pessoa tenha o DESEJO de alcançar o Sucesso.